♥ Almanaque Tokyo - Sukajan ♥

18:21 Tokyo Fashion Girls 3 Comentários

Oi meninas!

Vamos reviver a minha sessão favorita do blog? Hoje vou falar sobre as Sukajan.


Sukajan (Fonte)

Sukajan (スカジャン) ou "Souvenir jacket" são jaquetas coloridas que possuem bordados com figuras japonesas nas costas, essas jaquetas surgiram no Japão mas tem uma enorme influência da cultura americana.
A história do nome é um pouco complicada e vários sites contam de um jeito diferente, alguns dizem que  é uma abreviação do nome "sky dragon jumper" (スカイドラゴンジャンパー).  Outros dizem que veio de "Yokosuka jumper" (横須賀ジャンパー), que foi reduzido posteriormente


A Taylor Toyo que até hoje fabrica esse tipo de jaqueta explica que depois da Segunda Guerra durante a revitalização econômica do Japão vários novos negócios foram abertos devido à dissolução de conglomerados que dominavam o mercado financeiro Japonês, isso abriu espaço para que a Kosho & Co (antigo nome da Toyo Enterprise, que é dona da Taylor Toyo) surgisse como importadora e exportadora de tecidos.


Depois da guerra as ruas de Ginza ficavam lotadas de barraquinhas vendendo itens tradicionais japoneses como Kimonos para militares Americanos que queriam levar alguma lembrança do Japão para casa. De acordo com eles, um empregado da Kosho & Co teve a idéia de criar uma jaqueta que tivesse como base os detalhes da jaqueta de baseball (que os Americanos já conheciam) mas que tivessem bordados orientais, devido a escassez de ceda o acetato foi usado em seu lugar.

Muitas fontes de informação trocam o "inventor" e dizem que os soldados Americanos que estavam instalados na base americana em Yokosuka que mandaram fazer desenhos orientais nas costas de suas jaquetas. Os modelos originais eram criados, a partir da seda que sobrava de paraquedas usados e os desenhos eram inicialmente simples pois todo o bordado era feito à mão. Acho que não dá mesmo pra saber quem foi o real inventor da famosa jaqueta!

Mick Jagger usando uma Sukajan

As Sukajan são facilmente confundidas com as "varsity jacket" americanas pois elas realmente foram feitas com base nesse modelo de jaqueta muito popular entre os americanos. Fisicamente falando, elas são confeccionadas com tecido brilhante e com um bordado nas costas, diferente das varsity que são de tecido fosco comum e sem os desenhos típicos.

Varsity Jacket (Fonte)

As Sukajan não se limitaram somente ao Japão e outros países asiáticos como o Vietnam e Coréia, mas foi a juventude japonesa que trouxe essa jaqueta "criada" por estrangeiros e vendida para eles em uma peça que representa a cultura de rua do Japão.
Nos anos 60 o estilo americano "Preppy" era muito popular, porém, pessoas (especialmente rapazes) que eram de classes mais baixas e/ou que acreditavam que não se encaixavam nos padrões desse estilo, começaram a usar as Sukajan como forma de protesto, o que acabou ligando o uso dessas jaquetas no Japão à atividades de gangues.


Na atualidade, essas jaquetas estão sendo consideradas a tendência da primavera de 2016 (que mal começou) pelo TokyoFashion que faz vários cliques de pessoas usando essas jaquetas em Harajuku.

Garotas em Harajuku usando Sukajan entre final de 2015 e 2016 (Fonte Tokyo Fashion)

Além de estar sendo usada frequentemente por Japoneses as Sukajan já vem inspirando desde o ano passado os desfiles e os catálogos de grandes grifes, as marcas de fast fashion mais moderninhas já sentiram a tendência e também já estão produzindo suas versões dessa peça.


Asos, Luis Vuitton, Zara e Valentino



Harry Styles de Valentino, Katy Perry de marca própria, Lewis Hamilton de Valentino e Miley Cyrus de Emilio Pucci


E aí meninas, já tinham ouvido falar nessa peça? Elas estão por todo o lugar no instagram do Tokyo Fashion esse ano, então acho que ainda vamos ver muitas jaquetas passeando pelo Japão durante a primavera!

Fontes: AsosThe Rosenrot, Messy nessy chic, Kotaku, The rainbow holic, Tokyo Fashion

3 comentários:

Como programar sua viagem ao Japão [Parte 2]

19:50 Tokyo Fashion Girls 2 Comentários

Oi meninas!

Mais uma vez pedindo desculpas pelo atraso nas postagens mas eu prometo que vou me disciplinar!
Hoje temos a segunda parte de como programar a viagem para o Japão! Então prepara o scroll do mouse, verifica o calendário de férias e vem comigo!

3. Montando o seu itinerário

Essa parte pode se juntar um pouco com o período da viagem que falei no post passado, caso você esteja interessada em compras a melhor época é ir no final do ano para pegar as Fukubukuro, caso você queira só passear e ver paisagens bonitas a primavera ou outono são mais adequadas.

Digamos que você já sabe em que época do ano quer viajar, para fazer a solicitação do visto japonês você precisa ter o itinerário do que você vai fazer cada dia que você estiver no Japão. Esse itinerário não precisa ser o mesmo que você vai seguir na viagem nem precisa ser muito completo, porém, japonês gosta de organização então quanto mais completinho e bonitinho ele for melhor são as chances deles não duvidarem da veracidade da sua viagem.

3.1 Itens para incluir em seu itinerário

- Coisas a fazer em cada dia de viagem: Caso a viagem seja mais longa (pelo menos 15 dias) você pode se dar ao luxo de fazer o itinerário para alguns dias e deixar outros dias "livres" e repetir alguma programação que você já fez ou visitar algum lugar que você só descobriu quando estava no Japão.
- Endereços: Os endereços no Japão são MUITO confusos e pode ser complicado encontrar alguma loja ou restaurante, por isso é bom deixar eles anotados no celular ou num papel para procurar no google ou pedir informação para alguém na rua. Aqui tem uma matéria explicando como decifrar esses endereços esquisitos!
- Itinerários de trem: Quando no Japão, é bem difícil que você escolha andar de carro pois o sistema de trens te leva a praticamente todo o lugar, carros são mais indicados para quem quiser visitar cidades menores. Os trens (especialmente os Shinkansen) tem horários super pontuais e os shinkansen saem apenas em determinados horários e encerram suas atividades em algum momento do dia (isso varia dependendo da cidade, linha, dia da semana, etc), por isso o Hyperdia é uma bíblia absoluta, sério! Ele funciona não só para saber o horário que os trens saem mas também para saber em quais estações você tem que fazer conexão,em qual plataforma você tem que descer, etc.
- Preços de passagens, entradas, atrações para programar os gastos diários e não passar fome no final da viagem.
- Locais para visitar
- Coisas que você quer comprar (essa é importante pra quem prometeu mil lembrancinhas pros amigos, é bom fazer uma lista para não esquecer de ninguém!)

4. Escolhendo a hospedagem

Eu não sou a maior viajante do mundo mas algo que me faz desistir de ir pra algum lugar é o preço abusivo dos hotéis. No Japão você tem algumas opções de hospedagem para todos os bolsos:

Hotel cápsula

Capsule hotel 310

Os hotéis cápsula são uma boa pedida para quem é minimalista (não carrega muita bagagem) e quer só um lugar pra dormir depois de um dia na rua. Os cápsula funcionam como um hostel, eles tem o dormitório com as cápsulas e áreas de convivência coletiva (porque né, ninguém vai ficar nessas cápsulas sem ser pra dormir), porém, prestem atenção na hora de reservar pois muitos cápsula só aceitam homens!

Hostel

Hostels são hotéis que oferecem quartos coletivos, os dormitórios são separados por sexo e podem ser uma boa opção para quem está com pouco dinheiro e não se importa em dividir o quarto com estranhos, caso você seja muito espaçoso(a) e goste de deixar suas coisas espalhadas talvez essa não seja a melhor opção.


Guest house


Guest house ou "Ryokan" é um termo um pouco obscuro pra mim, pelo que eu sei são esses quartos com carinha japonesa que tem tatami, porta de papel, você dorme no futon e tal. Esse tipo de acomodação é bem comum em locais com Onsen (termas). Geralmente esses quartos tem uma varanda com uma banheira de água termal do lado de fora.

Airbnb

Minha opção favorita! Para quem não conhece o airbnb é um site onde as pessoas anunciam suas casas para alugar, você encontra desde pessoas simples que alugam um quarto dentro da sua casa até pessoas donas de vários imóveis que alugam desde quartos à casa inteira.
Já usei o airbnb uma vez para ir à São Paulo mas só aluguei um quarto e nunca o apartamento inteiro, dessa vez eu e as minhas amigas iremos ficar em Tóquio, Osaka e Kyoto em apartamentos alugados pelo airbnb.
Vale muito a pena por causa do preço e porque você consegue dividir o valor da hospedagem com o número máximo de pessoas que a casa aceita (alguns apartamentos no Japão aceitam até 8 hospedes!) mas pode ficar um pouco apertado e um clima meio "carnaval" se você for com tanta gente assim!
Minha única ressalva nesse tipo de acomodação é que o airbnb não oferece nenhum suporte ao hóspede, já vi vários relatos de pessoas que tiveram seus pertences roubados e que o airbnb nada fez para ajudá-las, então caso vocês queiram procurar por esse tipo de local procurem pessoas que tenham boas qualificações e que tem uma certa reputação à manter! Outro problema é que você não pode achar que está na própria casa e fazer o que quiser, você tem que manter o apartamento alheio organizado, especialmente no Japão você não pode fazer barulho, não pode entrar com calçado, então tem uma série de regras que geralmente ficam explícitas na descrição da acomodação que se você não cumprir pode ser convidado a se retirar do local! #pesado!

Links úteis
http://airbnb.com/
http://www.booking.com
https://www.tripadvisor.com.br/

5. Tirar o visto Japonês

Para quem não mora em cidades que possuam consulado ou embaixada você não precisa viajar para tirar o visto, ele pode ser tirado por um despachante! Os documentos necessários são super simples, peguei essa lista do site melhores destinos.
1. Passaporte válido (e os passaportes anteriores com visto japonês)
2. Formulário impresso da SOLICITAÇÃO DE VISTO PARA ENTRAR NO JAPÃO
3. Uma foto 4,5 X 4,5 (ou 3X4) recente (tirada há no máximo 6 meses), com fundo branco e sem data
4. Reserva de passagem de ida e volta
5. Cópia autenticada da carteira de identidade
6. Cópia da declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (todas as páginas, inclusive o recibo de entrega)
7. Documentos que comprovem a finalidade da viagem. Nesse caso, os documentos mudam de acordo com a finalidade da viagem. O que mais é relevante para nós é:

TURISMO:
Cronograma de Viagem. O roteiro deve ser escrito pelo próprio passageiro, a embaixada fornece um modelo mas você não é obrigado a usá-lo (eu usei outro bem mais bonito por sinal). No formulário, basicamente eles pedem as cidades a serem visitadas em cada data e o contato dos hotéis onde ficará hospedado.

Tirar o visto com despachante é bom porque acaba saindo mais barato para quem não mora nas cidades onde tem embaixada/consulado, porém, caso os funcionários achem que algo não ficou muito claro nos seus documentos eles mandam o despachante te pedir mais coisas, no nosso caso o despachante voltou umas 2 ou 3 vezes pedindo documentos adicionais.
O visto Japonês é um pouco diferente do visto americano pois ele tem três validades!
1. Validade do visto: Valido por 3 meses depois da data de emissão
2. Validade da estadia: Depende do bom humor do funcionário (O meu foi de 15 dias e o da Luana de 30 dias)
3. Validade das entradas: WHATHAFUCK? É, caso você queira fazer um mochilão pela Ásia e visitar alguns países você tem que prestar atenção nisso, o visto japonês de única entrada só pode ser usado uma única vez, então se você entrou no Japão em um dia e for pra Tailândia no outro, você não pode mais voltar pro Japão. Caso você queira fazer todo esse bate bola você precisa tirar um visto de múltiplas entradas.

6. Japan Rail Pass

E finalmente o famigerado!

Ainnnn Luciana o Rail pass é muito caro, num vou comprar não!

A escolha de comprar ou não o Rail Pass depende muito do tipo de viagem que a pessoa vai fazer, por quantos dias ela vai ficar no Japão e se ela vai visitar outras cidades além de Tóquio usando o trem.
Eu, por exemplo, sabia que o ponto principal da viagem seria Tóquio pois eu iria com as meninas e elas não se prepararam pra viagem por tanto tempo quanto eu, coloquei algumas cidades próximas no itinerário (Kyoto, Osaka,  Kawasaki, Hakone, etc) sendo que Kyoto e Osaka seriam as mais distantes e consequentemente, as mais caras!
O Hyperdia, como eu disse, calcula os valores das passagens de trem inclusive as do shinkansen, fiz a simulação da viagem no Hyperdia e contei quantos ienes daria caso eu fosse pagar a passagem em dinheiro e no rail pass, acabou que o rail pass nos daria quase mil reais de economia então não tive dúvidas que teríamos que comprar!

O Rail pass vale por 7 ou 14 dias e tem versões para adultos e crianças, trem regular ou de luxo. Vocês podem ver mais informações nesse site aqui.


Wow! Acabaram os posts chatos de viagem! hehe
Agora a parte 3 vai ser toda sobre arrumação de mala, o que levar na viagem, vai ser bem legal!

Bjinhos
Luciana

2 comentários: